Aromaterapia: O Que É, Como Funciona E Quais São Os Benefícios


Aromaterapia, ou terapia aromática, refere-se a uma variedade das terapias holísticas, integrativas ou complementares que utilizam óleos essenciais e outros compostos de plantas aromáticas.

 

O Que É Aromaterapia?

Os óleos essenciais foram usados ​​por quase 6.000 anos, com o objetivo de melhorar a saúde ou o humor de uma pessoa.

Profissionais e entidades do segmento definem a aromaterapia como “a aplicação terapêutica ou o uso medicinal de substâncias aromáticas (óleos essenciais) para a cura holística”.

Em 1997, a Organização Internacional de Normalização (ISO) definiu um óleo essencial como “produto obtido a partir de matérias-primas vegetais, seja por destilação com água ou vapor, ou pelo epicarpo de frutas cítricas por processo mecânico ou por destilação seca”.

Sabe-se que uma variedade de óleos essenciais possui vários graus de atividade antimicrobiana e que contam com propriedades antivirais, nematicidas, antifúngicas, inseticidas e antioxidantes. As aplicações de aromaterapia incluem massagens, aplicações tópicas e inalação.

No entanto, os usuários devem estar cientes de que os produtos “naturais” também são produtos químicos gerados pela natureza e podem ser perigosos se usados ​​de maneira errada. É importante seguir o conselho de um profissional treinado ao uso de óleos essenciais.

 

Usando Aromaterapia – Prática Com Óleos Essenciais

Uma variedade de óleos essenciais pode ajudar a melhorar a saúde e o bem-estar. Normalmente a aromaterapia é utilizada como uma aplicação tópica ou por inalação.

Inalação

Os óleos evaporam no ar usando um recipiente de difusão, pulverização ou gotículas de óleo, ou são respirados, por exemplo, em um banho de vapor.

Além de proporcionar um cheiro agradável, os óleos de aromaterapia podem agir como desinfectantes respiratórios, descongestionantes e trazer benefícios psicológicos, como tranquilidade e relaxamento.

Inalar óleos essenciais estimula o sistema olfativo, a parte do cérebro conectada ao cheiro, incluindo o nariz e o cérebro.

Moléculas que entram no nariz ou na boca passam para os pulmões e, a partir daí, para outras partes do corpo.

À medida que as moléculas atingem o cérebro, elas afetam o sistema límbico, que está ligado às emoções, à frequência cardíaca, à pressão arterial, à respiração, à memória, ao estresse e ao equilíbrio hormonal. Desta forma, os óleos essenciais podem ter um efeito sutil, porém holístico, sobre o corpo.

Aplicações tópicas

Os óleos de massagem e os produtos para corpo e banho são absorvidos pela pele. Massagear a área onde o óleo deve ser aplicado impulsiona a circulação e aumenta a absorção. Alguns especialistas argumentam que as áreas que são mais ricas em glândulas sudoríparas e folículos pilosos, como a cabeça ou as palmas da mão, podem absorver os óleos de forma mais eficaz.

Os óleos essenciais nunca são aplicados diretamente sobre a pele. Devem sempre ser diluídos com um óleo transportador. Geralmente, algumas gotas de óleo essencial para 30 mL de óleo transportador são suficientes para concentração. Os óleos transportadores mais comuns são o óleo de amêndoa e o azeite doce.

Sempre faça um teste de alergia antes de tentar um novo óleo essencial.

Para fazer um teste de alergia:

  • Diluir o óleo essencial em um óleo transportador no dobro da concentração que você planeja usar
  • Esfregar a mistura em uma área do tamanho de um quarto no interior do antebraço

Se não houver resposta alérgica dentro de 24 a 48 horas, deve ser seguro usar.

Algumas pessoas relatam desenvolver alergias a óleos essenciais depois de usá-los muitas vezes antes de aparecer o sintoma. Se uma nova resposta alérgica aparecer, o indivíduo deve parar de usá-lo imediatamente e evitar o seu cheiro.

Para atingir uma diluição de 0,5 a 1 por cento, use 3 a 6 gotas de óleo essencial por 30mL de transportador. Para uma diluição de 5%, adicione 30 gotas a 30mL de transportador.

Uma concentração máxima de 5 por cento geralmente é considerada segura para adultos.

Ingerir ou engolir óleos essenciais não é recomendado. Tomados por via oral, os óleos podem danificar o fígado ou os rins.

 

Benefícios

A aromaterapia é uma terapia complementar. Não proporciona uma cura para doenças, erupções cutâneas ou doenças, mas pode dar suporte terapêutico para o tratamento convencional de vários problemas.

Um banho de vapor de eucalipto, por exemplo, pode aliviar os sintomas de um resfriado ou gripe.

Esta técnica muito eficaz para reduzir:

  • Náusea
  • Dor e dores no corpo
  • Ansiedade, agitação, estresse e depressão
  • Fadiga e insônia
  • Dores musculares
  • Dores de cabeça
  • Problemas circulatórios
  • Problemas menstruais
  • Problemas da menopausa
  • Alopecia, ou perda de cabelo

Alguns tipos de psoríase podem encontrar alívio com a aromaterapia, mas um profissional de saúde deve informar sobre o uso e a aplicação.

Problemas digestivos podem se beneficiar do óleo de hortelã pimenta, mas não deve ser ingerido.

A dor de dente e as feridas na boca podem ser aliviadas pelo óleo de cravo, mas isso também deve ser aplicado topicamente e não engolido.

Os aromaterapeutas garantem que estas e uma ampla gama de outras queixas respondem bem à aromaterapia, mas nem todos os usos são apoiados por evidências científicas, embora existam registros de seus efeitos benéficos.

 

O que os óleos essenciais fazem?

Óleos diferentes têm diferentes usos e efeitos.

  • Alecrim – pode promover o crescimento do cabelo, aumentar a memória, prevenir espasmos musculares e apoiar os sistemas circulatório e nervoso.
  • Bergamota – este óleo essencial é útil para o trato urinário e para o trato digestivo. Quando combinado com óleo de eucalipto pode ajudar a aliviar problemas de pele, incluindo aqueles causados ​​pelo estresse e varíola.
  • Camomila – óleo essencial com propriedades para tratar eczema.
  • Citronela – este óleo essencial é um parente de citrinos e atua como repelente de insetos.
  • Cravo – é um analgésico tópico, ou anestésico, que é comumente usado para dor de dente. Também é aplicado como antiemético e antiespasmódico, para prevenir vômitos e náuseas, e como antiflatulento, evitando a formação de gases no intestino. Tem propriedades antimicrobianas, antioxidantes e antifúngicas.
  • Eucalipto – este óleo essencial pode ajudar no alívio das vias aéreas durante um resfriado ou gripe. Algumas vezes é combinado com menta. Muitas pessoas são alérgicas ao eucalipto, por isso cuidado deve ser tomado.
  • Gerânio – pode ser usado para problemas de pele, para reduzir o estresse e como repelente de mosquito.
  • Jasmim – já foi descrito como um afrodisíaco. Embora existam evidências científicas, a pesquisa mostrou que o odor do jasmim aumenta as ondas beta, que estão ligadas ao alerta. Como estimulante, pode aumentar o fluxo de sangue peniano.
  • Lavanda – óleo essencial usado como antisséptico para pequenos cortes e queimaduras e para melhorar o relaxamento e o sono. Também usado para aliviar a dor de cabeça e sintomas de enxaqueca.
  • Limão – usado para melhorar o humor e para ajudar a aliviar os sintomas de estresse e depressão.
  • Manjericão – este óleo essencial é usado para afiar a concentração e aliviar alguns dos sintomas da depressão. Pode aliviar dores de cabeça e enxaquecas. Deve ser evitado durante a gravidez.
  • Melaleuca ou Tea Tree – tem qualidades antimicrobianas, antissépticas e desinfetantes. É comumente usado em shampoos e produtos de cuidados da pele, para tratar acne, queimaduras e mordidas. Este óleo essencial é usado em enxaguamentos bucais, mas nunca deve ser engolido, pois é tóxico.
  • Milefólio ou Mil-folhas – óleo essencial usado para tratar sintomas de resfriado e gripe, e para ajudar a reduzir a inflamação das articulações.
  • Pimenta Preta – óleo essencial comumente usado para estimular a circulação, dores musculares e contusões. Combinado com óleo essencial de gengibre, é usado para reduzir a dor da artrite e melhorar a flexibilidade.
  • Sândalo – este é um óleo essencial utilizado por alguns especialistas por ter qualidades afrodisíacas.
  • Tomilho – este óleo essencial ajuda a reduzir a fadiga, nervosismo e estresse.

O óleo essencial usado para massagem será misturado com um “óleo transportador” que dilui a essência e fornece lubrificação.

 

Visitando O Aromaterapeuta

O aromaterapeuta deve ter uma histórico profissional comprovado, e um estilo de vida, dieta e histórico de saúde congruente.

Aromaterapia envolve uma abordagem holística, por isso visa tratar toda a pessoa. Os tratamentos serão adequados às necessidades físicas e mentais do indivíduo. Com base nessas necessidades, o aromaterapeuta pode recomendar um único óleo ou uma mistura.

Um aromaterapeuta não é o mesmo que um massoterapeuta, embora este possa usar óleos de aromaterapia em suas massagens.

 

Riscos

Cada óleo essencial tem sua própria composição química e razão para o uso, por isso é importante falar com um aromaterapeuta treinado, profissional da saúde, médico, fisioterapeuta, massoterapeuta ou farmacêutico antes de aplicar ou usar um óleo para fins de tratamento.

Um profissional treinado pode recomendar e ensinar a usar cada produto, dando instruções apropriadas sobre aplicação ou diluição.

O Brasil não possui legislação que controle a qualidade terapêutica dos óleos essenciais, pois a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que é o órgão federal responsável classifica estes produtos como cosméticos. Recomenda-se, porém, na hora de comprar um óleo essencial, conferir no rótulo as seguintes informações: nome científico, país de origem, composição química e registro na ANVISA.

Os consumidores também devem estar conscientes de que, como a ANVISA não monitora estes produtos, pode ser difícil saber se um óleo essencial é puro ou sintético ou se está contaminado.

Alguns produtos de beleza e de uso doméstico, como loções, maquiagem e velas, contêm produtos que podem parecer óleos essenciais, mas são realmente fragrâncias sintéticas.

Como medicamentos, os óleos essenciais devem ser tratados com respeito. É importante procurar conselhos profissionais e seguir as instruções cuidadosamente.

Cuidado Ao Usar Óleos Essenciais

Uma vez que os óleos essenciais causam reações no corpo, nem todos os óleos poderão oferecer benefícios. Os compostos químicos nos óleos essenciais podem produzir efeitos adversos quando combinados com medicamentos. Eles podem reduzir a eficácia das drogas convencionais, ou podem exacerbar as condições de saúde no indivíduo.

Uma pessoa com pressão alta, por exemplo, deve evitar estimulantes, como o alecrim. Alguns compostos, como o erva-doce, o anis e a sálvia, agem de forma semelhante ao estrogênio, de modo que uma pessoa com um tumor de mama ou ovário dependente de estrogênio deve evitá-los.

Os produtos concentrados podem ser venenosos antes da diluição e devem ser manuseados com cuidado. Recomenda-se uma concentração máxima de 5%.

Alguns óleos produzem toxinas que podem causar danos ao fígado, rins e sistema nervoso, especialmente se ingeridos. A ingestão de óleos essenciais pode ser perigosa e fatal em alguns casos.

Indivíduos com qualquer uma das seguintes condições devem ser extremamente cuidadosos ao usar aromaterapia:

  • Alergia específica ou alergias genéricas
  • Febre dos Fenos (um tipo de alergia)
  • Asma
  • Condições de pele como eczema ou psoríase

Pessoas com as seguintes condições devem ser extremamente cautelosas:

  • Epilepsia
  • Hipertensão arterial ou pressão alta

Se o óleo deve ser misturado com um transportador, o indivíduo deve informar o aromaterapeuta ou massoterapeuta sobre qualquer alergia a nozes, porque os óleos transportadores geralmente são obtidos de nozes e sementes.

A aromaterapia pode ter efeitos colaterais, mas estes geralmente são leves e não duram muito.

Eles incluem:

  • Náusea
  • Dores de cabeça
  • Algumas reações alérgicas

O uso de aromaterapia por mães grávidas ou lactantes não foi provado seguro pela pesquisa, por isso não é recomendado.

Durante o primeiro trimestre de gravidez, a aromaterapia pode representar um risco para o desenvolvimento do feto. As mulheres que estão amamentando devem evitar o óleo essencial de menta, como pode ser expresso no leite materno.

Os óleos essenciais derivados de citros podem tornar a pele mais sensível à luz ultravioleta, aumentando o risco de queimaduras solares.

Finalmente, ao armazenar óleos essenciais, é importante estar ciente de que a luz, o calor e o oxigênio podem afetar a integridade do óleo. Os produtos devem vir de uma fonte respeitada e confiável, para ter certeza da qualidade

Fonte: Medical News Today


Gostou disso? Compartilhe com os seus amigos!

O Que Você Achou Desse Artigo?

horrível horrível
0
horrível
confuso confuso
0
confuso
fraco fraco
0
fraco
divertido divertido
0
divertido
geeky geeky
0
geeky
amei amei
2
amei
kkkkk kkkkk
0
kkkkk
nossa! nossa!
0
nossa!
ótimo ótimo
6
ótimo
Therapyas

Somos mais que um site ou blog, somos uma Comunidade, somos uma Tribo. Formamos uma Equipe que deseja transformar o portal Therapyas é um ponto de encontro entre consumidores de produtos e serviços no segmento de Saúde & Bem Estar, praticantes, profissionais e empresas focadas em terapias holísticas, integrativas e complementares. E-mail: info@therapyas.com.br Whatsapp: (15) 98159-9000

2 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Ótimo artigo. É importante as pessoas saberem que aromaterapia é uma prática de tratamento natural simples, mas que requer uma certa atenção. Eu costumo dizer que aromaterapia é o cuidado para a alma e os óleos essenciais são o perfume para a alma. Com usos orientados por um profissional os resultados podem ser fabulosos.

Escolha um Formato
Artigo
Escreva um texto básico que pode ser incorporado com fotos e vídeos
Quiz Personalizado
Série de perguntas que pretende revelar algo sobre a personalidade do internauta
Votação
Cria uma votação para tomar decisões ou determinar opiniões
Lista
Crie um Artigo Típico de Lista com Itens

Send this to a friend